CONTACTOS

Praça de Londres, 1000-074 Lisboa
Tlf. 218437450

Igrejasjoaodeus@gmail.com
www.paroquiasaojoaodeus.pt

Подробнее на сайте: https://hotsnews.ruhttps://leadingnews.ruhttps://newsexplore.ruhttps://priornews.ruhttps://newshead.ruhttps://holdnews.ruGo to top of pagehttps://estascredit.ruhttps://maincredit.ruhttps://topallnews.ru
https://prime-pc.ru https://ultimnews.ru https://pc-room.ruhttps://automobyle.ru https://news101.ruhttps://flarenews.ru

Capitão Carlos Canatário falou sobre segurança e circulação rodoviária a responsáveis nacionais e internacionais

 

 A Guarda Nacional Republicana vai iniciar em abril as comunicações relacionadas com medidas a aplicar no terreno em Fátima, durante a celebração do Centenário das Aparições e a visita do Papa Francisco, a 12 e 13 de maio.

Durante o 5.º Workshop Internacional de Turismo Religioso, que se concluiu hoje em Fátima, o capitão Carlos Canatário já adiantou algumas informações ao nível da segurança e da mobilidade, tendo em conta a magnitude do evento, “acima do habitual”.

Em declarações à Agência ECCLESIA, aquele responsável salientou que “tudo está a ser feito”, dentro do possível, para acolher as pessoas “independentemente do aumento da afluência que possa surgir”, e deixou algumas indicações.

“Preparem a sua viagem, escutem os conselhos das autoridades, seja de segurança seja de socorro, porque se todos pensarmos no conjunto será mais fácil para toda a gente”, sublinhou.

A GNR estima que, entre os dias 12 e 13 de maio, a visita do Papa Francisco seja acompanhada por, pelo menos, 500 mil pessoas.

Segundo o capitão Carlos Canatário, é previsível que “a movimentação e os acessos a Fátima comecem a ficar congestionados já no fim-de-semana anterior” às comemorações.

No entanto o “foco” da atuação da GNR será “essencialmente entre os dias 11 e 14 de maio”.

Nesta janela temporal, o objetivo será garantir “a segurança das pessoas no recinto do Santuário e zona adjacente”, a “segurança do Papa Francisco”, a “prevenção” de eventuais atos criminosos ou que coloquem em causa o evento; e a “fluidez rodoviária”.

No que toca aos “acessos à freguesia de Fátima”, o capitão Carlos Canatário destacou a importância das pessoas “utilizarem vias alternativas” para chegarem à região, e não apenas “as autoestradas”. 

“Existem muitos acessos à cidade de Fátima, estradas nacionais que irão todas estar monitorizadas pela GNR” para ajudar as pessoas a chegarem ao seu destino, salientou.

Por outro lado, e “num trabalho em parceria com a Câmara Municipal de Ourém, existirão bolsas de estacionamento devidamente marcadas, sinalizadas, em torno de toda a cidade de Fátima”.

A GNR prevê que “os parques habitualmente utilizados nas peregrinações fiquem esgotados muito tempo antes”.

A ideia é que as pessoas deixem as suas viaturas nessas “bolsas de estacionamento” e depois utilizem um “sistema de transfers” que será colocado à disposição para chegarem mais facilmente à Cova da Iria.

Quanto ao acesso ao Santuário propriamente dito, o controlo da entrada de viaturas deverá começar “dia 11 de maio à tarde” e “a partir do início da manhã do dia 12, a circulação ou entrada na Cova da Iria será interdita, com exceção a viaturas devidamente credenciadas”, alertou o capitão Carlos Canatário.

Esta situação manter-se-á “até ao fim da tarde de dia 13 de maio”, sendo “previsível que a partir do meio da noite” desse dia, a circulação rodoviária retome o seu curso “normal”.

JCP


"Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é Amor." 1 João 4;8