CONTACTOS

Praça de Londres, 1000-074 Lisboa
Tlf. 218437450

Igrejasjoaodeus@gmail.com
www.paroquiasaojoaodeus.pt

Подробнее на сайте:
https://newsnight.ru
https://newsmoment.ru
https://bordernews.ru https://newsabc.ruhttps://newsaim.ruhttps://newsquick.ruGo to top of page https://newsrecent.ru https://sidenews.ru
https://targetnews.ru https://rawnews.ru https://calmnews.ruhttps://exactnews.ruhttps://branchnews.ruhttps://newsinit.ru https://news720.ru

Quarenta dias antes da Páscoa, a Igreja abre solenemente o tempo de penitência, chamado Quaresma, em preparação para a celebração da Páscoa. É a Quarta-feira de Cinzas, entre nós bastante prejudicada pelo carnaval.

Neste dia, após a Liturgia da Palavra, em que se proclama o trecho do Evangelho em que Cristo recomenda a oração, o jejum e a esmola como exercícios de conversão (cf. Mt 6,1-18), realiza-se o rito da imposição das cinzas. Elas são sinal de penitência, no sentido de conversão. A conversão consiste, sobretudo, no reconhecimento de nossa condição de criaturas limitadas, mortais e pecadoras. No gesto de imposição das cinzas sobre a cabeça das pessoas, o sacerdote ou o ministro diz: “Convertei-vos e crede no Evangelho”. A conversão consiste em crer no Evangelho. Crer é aderir a ele, viver segundo os ensinamentos do Senhor Jesus. Pode-se usar também a fórmula tradicional: “Lembra-te que és pó e ao pó hás de voltar”. Numa das orações de bênção das cinzas se diz: “Reconhecendo que somos pó e que ao pó voltaremos, consigamos, pela observância da Quaresma, obter o perdão dos pecados e viver uma vida nova, à semelhança do Cristo ressuscitado”.

A origem das cinzas usadas tem seu significado. Elas são preparadas pela queima de palmas usadas na procissão de Ramos do ano anterior. Lembram, portanto, o Cristo vitorioso sobre a morte. A palma é símbolo de vitória e de triunfo. Assim, se os cristãos aceitam reconhecer sua condição de criaturas mortais, e transformar-se em pó, ou seja, passar pela experiência da morte, a exemplo de Cristo, pela renúncia de si mesmos, participarão também da vida que ressurge das cinzas.

Aqui vale a pena lembrar uma lenda egípcia. Fênix era uma ave fabulosa que durava muitos séculos e, queimada, renascia das próprias cinzas. Foi fácil perceber que ela é símbolo da ressurreição de Cristo e dos que aceitam viver na atitude de Cristo.

Certamente não é fácil aceitar ser cinza. Contudo, a fé em Jesus Cristo ressuscitado faz com que a vida renasça das cinzas. Jesus Cristo faz brotar a vida, onde o ser humano reconhece sua condição de criatura necessitada da ação de Deus. É entrar na atitude pascal.

Esta páscoa se vive na conversão, através dos exercícios da oração, do jejum e da esmola.
A imposição das cinzas não constitui um mero rito a ser repetido a cada ano. É celebração da vocação do ser humano, chamado à imortalidade feliz, contanto que realize o mistério pascal de morte e vida em sua vida fraterna.

Texto de “Viver o Ano Litúrgico – Reflexões para os domingos e solenidades”, de Frei Alberto Beckhauser, Editora Vozes.

Francisco convida católicos a passar da «escravidão» à liberdade, seguindo ensinamentos de Jesus

 

O Papa Francisco assinalou hoje no Vaticano o início da Quaresma, período de preparação para a Páscoa, e falou de um “caminho de esperança” que quer levar os católicos da “escravidão” à liberdade.

“[A Quaresma] é um caminho certamente exigente, como é bom que seja, porque o amor é exigente, mas é um caminho cheio de esperança. Mais: o êxodo quaresmal é o caminho no qual a própria esperança ganha forma”, disse, perante milhares de peregrinos reunidos na Praça de São Pedro para a audiência pública semanal.

Francisco aludiu às práticas penitenciais ligadas ao tempo de preparação para a Páscoa, no calendário católico, e sublinhou que “o cansaço de atravessar o deserto – todas as provas, as tentações, as ilusões, as miragens -, tudo isso serve para forjar uma esperança forte, sã”.

“Com o coração aberto a este horizonte, entremos na Quarema. Sentindo-nos parte do povo santo de Deus, comecemos com alegria este caminho de esperança”, apelou.

Na Quarta-feira de Cinzas, o Papa assinalou que o tempo quaresmal é um “período de penitência, também de mortificação”, algo que não é um “fim em si mesmo”, mas que procurar levar os crentes a “renascer” com Jesus Cristo, num “caminho da escravidão à liberdade”.

A catequese partiu da experiência do Êxodo do povo de Israel, relatado pela Bíblia, e o momento em que Deus o libertou da escravidão do Egito, um período em que este povo se viu tentado a desistir e “voltar para trás”.

No final da audiência, o Papa saudou os peregrinos de língua portuguesa presentes no Vaticano, particularmente os grupos que ali se deslocaram desde Portugal.

“Ao iniciar a Quaresma, faço votos de que a vossa peregrinação a Roma fortaleça em todos a esperança e consolide, no amor divino, os vínculos de cada um com a sua família, com a comunidade eclesial e com a sociedade. Que Nossa Senhora vos acompanhe e proteja!”, declarou.

A Quaresma, que começa hoje, é um período de 40 dias marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

Hoje dia 24 de Abril, sexta-feira, as senhoras do nosso Lar vieram ao Salão Paroquial para juntamente com as crianças da ESCOLINHA DA IGREJA, brincarem ao Carnaval...

Foi uma tarde cheia de folia, alegria e bastante animação onde todos se divertiram e onde procurámos partilhar afetos!

Bem haja a todos os presentes e ao empenho que dedicaram a esta festa!

O CARNAVAL CHEGOU AO CENTRO SOCIAL PAROQUIAL S. JOÃO DE DEUS

 

As senhoras do Lar S. João de Deus começaram o dia com uma visita muito especial dos meninos da Casa Menino de Deus - casa fundada na Paróquia de S. João de Deus, pela Conferência Vicentina Menino Deus e localizada no Areeiro.

Entre noivas e princesas, heróis, palhaços e até vampiros, muita foi a folia carnavalesca que contou com cantigas, beijinhos, abraços e docinhos logo pela manhã.

Agradecemos à diretora e restante pessoal da Casa Menino de Deus pelo momento que nos proporcionaram e pelo docinho que nos deixaram para a sobremesa.

E porque o Carnaval ainda há pouco começou, não conseguimos resistir a uma saída de casa para uma tarde passada em conjunto com as crianças da Escolinha da Igreja.

Uma tarde muito alegre, um desfile e um concurso de máscaras, o júri foi constituído pelas simpáticas avós do Lar S. João de Deus e no final todos saíram vencedores com um lanche bem caseiro e umas bebidas bem gostosas.

E porque somos todos uns bons foliões brincámos com muitas e coloridas serpentinas e balões ao ritmo da dança até ao fim da festa.

Obrigado a todos os que nos ajudaram a concretizar esta actividade.

Desejamos a todos, um feliz e divertido Carnaval para todos vós!


"Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é Amor." 1 João 4;8